Um encontro marcado com palavras....

Sujeição ou submissão?


O Espírito Santo é Quem nos guia e estamos sujeitos à Sua orientação, o que nem sempre nos agrada. O fato é que sem nos submetermos à direção do Espírito podemos agir, ir, voltar, realizar e, até mesmo orar sob influência da carne.
Vejamos um exemplo de sujeição ao Espírito que ocorreu na vida do Apostolo Paulo.
O Espírito Santo, em um dado momento, impediu o seu trabalho e de seus amigos porque primeiro queria dar-lhes uma visão clara da vontade de Deus.
“Paulo e seus companheiros viajaram pela região da Frígia e da Galácia, tendo sido impedidos pelo Espírito Santo de pregar a palavra na província da Ásia.
Quando chegaram à fronteira da Mísia, tentaram entrar na Bitínia, mas o Espírito de Jesus os impediu.
Então, contornaram a Mísia e desceram a Trôade. Durante a noite Paulo teve uma visão, na qual um homem da Macedônia estava em pé e lhe suplicava:
-"Passe à Macedônia e ajude-nos".
Depois que Paulo teve essa visão, preparamo-nos imediatamente para partir para a Macedônia, concluindo que Deus nos tinha chamado para lhes pregar o evangelho.” (Atos 16.6-10)
Ainda que tenhamos a intenção e, o desejo ardente de anunciar a Palavra de Deus em todas as províncias, como podemos ver, a Obra é determinada por Deus onde Ele assim desejar realizá-la e, da maneira pela qual quiser agir. A meditação de hoje é sobre estarmos sujeitos à voz do Espírito!
Ainda que façamos planos, devemos confiar no Deus da Obra e, seguir os conselhos do Seu Espírito para nos mantermos no centro da Sua vontade.
O Apostolo Paulo ouviu, sujeitou-se, orou e, recebeu a visão de Deus sobre o que deveria fazer. Deus é Quem nos instrui em todas as coisas. Ele nos guia com Seus olhos.
Existem tempos na vida dos filhos de Deus que, são tempos de compreensão, de crescimento, de fortalecimento, de aprendizado que requerem silêncio e dedicação à oração e comunhão com Deus para se tornarem flechas que acertem os alvos, liberadas pelo arco divino.
“...pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dele.” (Filipenses 2.13)
O melhor caminho para os filhos de Deus é deixarem-se ser guiados, pois o Espírito conhece o princípio e o fim de todas as coisas que Deus quer realizar em nós e, através de cada um de nós.
A carta aos Romanos escrita por Paulo nos mostra que ele planejou e esperou realizar algumas coisas, mas era conduzido e dirigido pelo Senhor e não por sua vontade.
“....porém, estou de partida para Jerusalém.”
Planejo fazê-lo quando for à Espanha. Espero visitá-los de passagem e dar-lhes a oportunidade de me ajudar em minha viagem para lá, depois de ter desfrutado um pouco da companhia de vocês. Agora, porém, estou de partida para Jerusalém, a serviço dos santos. (Romanos 15.24,25)
Um detalhe importante:
Não precisamos explicar nada a ninguém, temos somente que viver sob a graça de Deus, tendo sensibilidade para ouvir a voz do Espírito e, obedecê-la. Compreensão espiritual é individual, assim como os projetos de Deus.

Graça Coelho


Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por nos visitar
Volte sempre
Portal da Graça

Quem sou

Quem sou
Sou uma peça, entre muitas, do grande exército de Deus, que se move em Seu tabuleiro, seguindo as regras do Seu jogo.

Postagem em destaque

A vida ensina

“O bom senso o guardará, e o discernimento o protegerá.” (Provérbios 2.11) Algumas vezes deixamos de dar atenção à voz de Deus e c...

Arquivos