Um encontro marcado com palavras....

Gatos não voam



Não tenho mais comigo meu gatinho Aoki, mas lembro-me de como ele ficava desesperado e procurava esconder-se rapidamente quando as tempestades iniciavam, principalmente quando ele ouvia os estrondosos trovões. 

Ainda que o gato seja irracional e não tenha conceito algum formado sobre chuva, relâmpagos e tempestades, o Aoki corria para o primeiro abrigo que encontrava quando as gotas grossas, geladas e barulhentas das águas desciam do céu e molhavam seu pelo cinza malhado.
Apesar da sua irracionalidade, instintivamente defendia-se porque não conhecia o significado da tempestade e sem dúvida evitava machucar-se.
A maioria dos animais fogem da chuva. Escondem-se dos ventos fortes e esperam passar, imóveis e sem ação. 
Assim acontece com muitas pessoas diante das grandes tempestades da vida, fogem ligeiras para baixo do primeiro abrigo que nem sempre é o abrigo protetor.
A Bíblia nos fala que os discípulos de Jesus também temeram tempestades, quando estavam em alto mar, mesmo estando com Jesus.
Incontáveis são os problemas que nos cercam, não é verdade? Cercam a todos nós, os cristãos e não cristãos.
Até fazem com que não enxerguemos as soluções, mesmo quando estamos juntos dela. A isso Jesus chamou de pouca fé.
Muitas vezes, como animais assustados, nos vemos perecendo diante da fúria dos ventos.
Se o "Aoki" fosse uma águia, e não um gato, certamente voaria acima de seus medos, e empurrado pelos ventos, subiria muito alto até estar por cima das nuvens, e não ouviria nem o barulho dos trovões.
Águias, enfrentam tempestades....gatos, não!
O Senhor diz que os que esperam no Senhor sobem com asas como águias, correm e não se cansa....

Graça Coelho
Share:

Castelos de areia


Todos nós já fomos crianças. Lembro-me dos muitos castelos que construímos, meu irmão, minha prima e eu, nas areias incontáveis das praias que meus pais nos levavam.
Alguns de nossos castelos tinham bandeiras de papel em suas torres. Bandeiras que cortávamos dos papéis recolhidos no chão cinza claro e quente para o qual quase não podíamos olhar. Papéis de sorvete, de lanches, de tudo o que as pessoas traziam e consumiam enquanto deleitavam-se diante da natureza e do som das ondas do mar.
Era muito bom ter aqueles papéis para dar cor aos nossos castelos, levando a nossa imaginação além dos limites da possibilidade.
Continuo construindo castelos.
Alguns ainda continuam desabando.
Quais são os motivos?
Uns, porque não estavam sendo formados sob a perspectiva do Grande Arquiteto, o Senhor; e outros porque erguer construções audaciosas neste tempo exige mais do que areia.
O importante é saber o que Jesus nos orienta diante da vida e uma de Suas orientações diz respeito a tesouro.
- Onde está o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. (Lucas 12.34)
Diantes desta verdade, me pergunto:
- Quais castelos que projeto são de fato Dele?
Só o tempo dirá....

Graça Coelho
Share:

Quem sou

Quem sou
Sou uma peça, entre muitas, do grande exército de Deus que se move em Seu tabuleiro, seguindo as regras do Seu jogo.

Postagem em destaque

A inveja

O que é a inveja? De acordo com o Dicionário Aurélio online = Desgosto pelo bem alheio. Desejo de possuir o que outro tem (acompan...

Arquivos